segunda-feira, 20 de junho de 2011

“Com um beijo me trais”



Jamais uma pessoa amou tanto um traidor....
Apostando tudo o que tinha nos que o frustravam, após sair da última ceia, os discípulos decepcionaram seu mestre, Ele estava para ser preso e aguardava a escolta e pediu para que seus discípulos estivessem com Ele naquele momento angustiante, mas os discípulos cansados dormiram.
Judas chegou com a escolta. Traiu o Mestre com um beijo. Em vez de ser dominado pela frustração e ódio, Jesus gerenciou seus pensamentos, relaxou sua emoção e olhou com gentileza para seu traidor. O espantoso é que a análise psicológica revela que Jesus não tinha medo de ser traído por Judas; tinha medo de perder Judas, de perder um amigo.
Ele disse: “Com um beijo me trais”. Queria dizer: “Você tem certeza de que é isso o que deseja? Pense antes de reagir”. Judas ficou perturbado, saiu de cena, não esperava essa resposta.
O Mestre dos mestres não desistiu dele, queria reconquistá-lo, levá-lo ao usar seu dramático erro para crescer. Queria que Judas não fosse controlado pela culpa e pela autopunição e nem desistisse de sua vida. Infelizmente Judas não ouviu a voz suave, sábia e afetiva de seu Mestre. Jamais uma pessoa traída amou tanto um traidor!
Horas depois de preso, Pedro golpeou-o três vezes negando veementemente que o conhecia. Pedro amava o Mestre profundamente, mas estava no cárcere da emoção. Não raciocinava. Jesus não exigiu nada dele. Ainda o estava treinando. No momento em que ele O nega pela última vez, o Mestre vira-se para ele e diz: “Eu compreendo”!
Você já disse para alguém que errou muito com você, “eu o compreendo”? Somos muitas vezes carrascos das pessoas que erram, até dos nossos filhos e alunos, mas Jesus jamais desistiu dos homens que escolheu.
Pedro saiu de cena e pôs-se a chorar. Nesse momento ele deu um salto na sua vida. O seu erro foi transformado num pilar de crescimento, e não em objeto de punição, como nas provas escolares das sociedades modernas.
Apesar dos inúmeros defeitos dos discípulos, duas qualidades os coroavam. Eles tinham disposição para explorar o novo e sede de aprender. Bastava isso para o mestre, pois ele acreditava que a pedra bruta seria lapidada ao longo da sua vida. Sabia que seu projeto levaria tempo para ser implantado, mesmo depois que fechasse os olhos.
Não se importava com os acidentes de percurso. Confiava nas sementes que plantara. Acreditara que elas germinariam na terra da timidez, nos solos da insegurança, nas planícies rochosas da intolerância. Por fim, seus discípulos se tornaram uma equipe excelente de pensadores. Depois quero que análise as cartas de Pedro que estão no Novo Testamento. “Elas são um tratado de psicologia social.” Errou muito, mas cresceu demais.
Jesus Cristo investiu sua inteligência em pessoas complicadíssimas para mostrar que todo ser humano tem esperança. As pessoas mais difíceis com quem você convive têm esperança. A história de Jesus é um exemplo magnífico. Demonstra que as pessoas que mais nos dão dor de cabeça hoje poderão a ser as que mais nos darão alegrias no futuro. O que fazer?
Invista nelas! Não seja um manual de regras e críticas! Surpreenda-as! Cative-as! Ensine-as pensar! Compreenda-as! Plante sementes! Na fé Letícia Ferreira.

2 comentários:

  1. Boa noite Varoa de Deus suas postagens são muito boas, para aqueles q prescisa de assunto para passar pela peleja ou batalha espiritual!
    Que Deus venha ti dar mais e mais conhecimento para ti. Fika na Paz do Senhor.
    Forte abraço q Jesus ti abençoa.

    ResponderExcluir
  2. Letícia Ferreira21 de junho de 2011 06:20

    Servo de Deus em Cristo, obrigada por comentar aqui,mas é este mesmo o objetivo de ajudar pessoas que se encontram nos desertos da vida, espero também que essas mensagens possa te ajudar em cada momento da sua vida. Deus te abençoe. Na fé Letícia Ferreira.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...