quinta-feira, 18 de abril de 2013

Para Meditar: longing...

Certo dia, a saudade, em um momento de explosão, desabafa:
-Distância, por que você existe?
Só serve para trazer a separação, um sentimento ruim de tristeza e abandono.
A distância, percebendo o momento difícil que a saudade está passando, não se exalta com as críticas recebidas e responde:
-Olha, saudade, entendo perfeitamente o que está acontecendo com você. Sei que reclamam muito de você, mas tudo isso é força de expressão.
A saudade rebate:
-Tenho dúvidas sobre isso, não aguento mais. São pessoas dizendo: "pensei que fosse morrer de tanta saudade!" outro diz: "pensei que fosse enlouquecer de tanta saudade!"já ouvi até alguém dizer assim:" o que os olhos não veem, o coração não sente," então me explica a saudade? Os olhos não veem e o coração sente e sente muito.
Está vendo? Diz a saudade, até mal para o coração eu faço, e nem explicação para isso se encontra.
A culpa de tudo isso é sua distância, você se interpõe entre os corações, você não respeita. Simplesmente afasta, eu chego e levo a culpa de tudo.
-olha, saudade, você está sendo um pouco injusta comigo, porque o maior culpado por tudo isso, não sou eu.
-mas é claro que é, diz a saudade, é você que separa que afasta; que distancia um coração do outro.
-É verdade, tudo o que você está falando tem fundamento, fala a distância, mas o culpado maior é o tempo.
O tempo até então calado, fala:
-Realmente, também tenho culpa, vamos esclarecer tudo, vamos dividir as responsabilidades. Eu o tempo, só cumpro ordens, é o coração que determina o tempo, se ele acha que vai aguentar, ele resiste ao tempo.
-Não, não é verdade, eu já vi um coração muito triste, e sofrendo muito, ele falou: "agora, só o tempo para me tirar essa saudade que teima em ficar."
-É verdade, diz o tempo, há circunstâncias em que o coração é o senhor do tempo; em outras, um verdadeiro escravo do tempo, mas vamos deixar o coração de lado, porque com certeza ele tem razão.
À distância, embora afaste um do outro, neste momento, estava muito próxima da saudade e do tempo, e fala suavemente:
-Nós estamos vendo somente o lado ruim, vamos analisar o outro lado.
É quando o coração aparece e resolve pôr fim a toda essa discussão, e diz:
-Quantas e quantas vezes, nós os corações, estamos desgastados um com o outro?
É nesse momento que precisamos desesperadamente de cada um de vocês, você, distância, nos afasta; o tempo passa, e se une à distância, a união de vocês, gera a saudade, que nasce muito forte.
É nesse momento que você, saudade, mostra o quanto nós os corações, precisamos um do outro para sermos felizes. Saiba, saudade, que você não precisa brigar com a distância, nem com o tempo, você é fundamental para os corações, é você quem desperta o desejo do coração para ver o outro coração que está distante.
Então, somente então, a saudade percebeu o quanto era importante, e feliz se cala... Autor desconhecido. Na fé Letícia Ferreira.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...